quinta-feira, 20 de julho de 2017

Reflexão

Nascemos para apreender a viver, em função das aprendizagem vem o conhecimento, na clivagem do conhecimento vem a sabedoria, a maior riqueza do ser humano é aquela que se atinge quando se chega à fase da sabedoria, limpou-se o que não interessa e ficou o mais amplo, o mais importante, viver em sabedoria só a maturidade nos traz esse saber enriquecedor, onde se vê a Vida com outros olhos, admiração, verdade, pureza, silêncio e paz. Porque quando chega o dia de viagem em que não há retorno reconhecemos que foi de grande valor termos passado por aqui.




Cidália Rodrigues

terça-feira, 18 de julho de 2017

Só o silêncio


Só o silêncio nos enche de Luz
Luz que amplia os nossos horizontes
o nosso ser, o nosso percurso
e nos enche de harmonia
 Só o silêncio nos erradia
fazendo de nós pessoas diferentes


Cidália Rodrigues

domingo, 16 de julho de 2017

A poupa



A poupa

Com o seu vestido trigueiro
Sua cabeça dourada
Toda ela se mostrava
Neste dia domingueiro
Elegante que ela vinha
Sua cauda em grande leque
Cheia de salamaleques
Ao muro alto subia
Para se recompor
Em voo louro
Se fez
À aventura do dia
A poupa
Que os meus olhos viram
Era uma poupa real
Que nunca vira às portas do quintal


Cidália Rodrigues

Mulher resiste



Roupa estendida no estendal
Roupa lavada
Lavada e seca
Depois de passada
Volta a ser usada
Trabalho de mulher
Já cansada
Vive em sonho de não fazer nada
após um dia de muito trabalho
Regressa a casa, fatigada
Arregaça as mangas
Lá vai ela,
Corta legumes
Para pôr na panela
Dá banho aos filhos
Dá-lhes carinhos
A sopa cozida
Os pratos na mesa
Serve a comida
Com delicadeza
Come apressada
Não lhe digam nada
Vai à janela
Olha p’ra rua
A noite chega
Lá vem hora de se deitar
Arruma a mesa
Os pratos lava
Pega nos filhos e na cama os põe
É longo o dia
É longa a semana
São assim os dias, meses e anos
Mulher resiste
Lá vai o sonho de não fazer nada
O livro que espera por não se ler
As páginas da vida que não se escrevem
Lá vem um dia em que diz
A vida é breve e tudo ficou
É fruto do tempo que não acabou
A vida é um sonho que mal se formou


Cidália Rodrigues

Ouriço

O pequenino ouriço
que à noite aparece

perfumado, tem um cheiro característico
da cidreira,

sai do seu esconderijo,

para se alimentar
come fruta que encontra
e dela faz o seu rico jantar
 é um belo exemplo para o nosso cear
comer fruta coisas leves
dá uma noite mais calma para se poder descansar


Cidália Rodrigues

Flores dos ribeiros



Flores do meu caminhar
São as que encontro quando vou passear
São as flores dos ribeiros
que nascem à beira dos caminhos
são brilhantes e vivas
 



Cidália Rodrigues

sexta-feira, 14 de julho de 2017

O ar é de ouro



De ouro são os momentos em que respiramos
o Ar
Leve e fresco ao acordar
Tudo se torna puro,
mesmo que sejam dias duros
Mas o ar que respiramos
Quando nos levantamos
Leva-nos a sentir
Que a vida sem puro ar
É um tormento
É dor e sofrimento
Amar o ar puro que respiramos
É amar a vida
Sem ar puro
A vida não tem vida
Por isso o Ar é de ouro
É de Ar puro que necessitamos



Cidália Rodrigues

Tranquilidade



A tranquilidade
Vem com a idade
É conhecer
O que a experiência
Nos soube dar
E o que nos proporcionou.
A fogosidade perde-se com o tempo
Saborear o observar o sentir
Que da existência ficou
É reconhecer que a agitação não nos leva a nenhum lugar
Saber aceitar o que a vida tem para nos dar
Só a tranquilidade nos deixa maravilhar


Cidália Rodrigues